Gutenberg Editor padrão do WordPress veja como usar

PorFrancisco Nunes

nov 10, 2022
Gutenberg Editor padrão do WordPress

Desde a chegada do WordPress 5.0, a grande novidade apresentada pela versão foi um novo editor de conteúdo padrão, nomeado de Gutenberg.

O mesmo já havia sido apresentado desde a versão 4.9, na época disponível para uso em forma de plugin do WordPress. O que certamente permitiu muitos usuários conhecerem as novidades e se adaptarem ao novo editor antes da integração dele a plataforma.

Isso porque este novo editor Gutenberg é totalmente diferente da versão do editor clássico que era usada antes. Lembrando que a versão clássica esteve presente no WordPress por anos, e que segue o mesmo estilo adotado por outras plataformas de blogs, como Blogger e Medium.

O problema é que nem todos os usuários do WordPress se preparam para o Gutenberg. Pois muitos não entenderam de fato a proposta do novo editor. Muito menos como usá-lo, criando-se uma contestação, incomodo e rejeição ao mesmo.

Então, o artigo de hoje vai se focar exclusivamente em destrinchar tudo sobre o Gutenberg. Desde o motivo pelo qual a equipe do WordPress resolveu desenvolvê-lo. Até mesmo como tirar o melhor proveito da ferramenta padrão para criação de conteúdo da plataforma. Confira:

Por que criaram o Editor Gutenberg?

Uma coisa que muitos usuários do WordPress não entenderam foi o porquê da total reformulação que o editor da plataforma teve. Afinal, ele era ótimo, recebeu boas melhorias ao longo destes anos, e não havia fortes reclamações.

Mas o real motivo não está ligado com nada disso, mas sim com os objetivos da plataforma para os próximos anos. É fato que o WordPress evoluiu e cresceu muito em seus 15 anos de existência, passando de uma simples plataforma de blogs para um completo sistema de gestão de conteúdo.

O problema é que muitas partes da plataforma ainda são extremamente direcionados a parte de blogs. Como era o caso do editor de conteúdo, que cria e edita posts ou páginas no tradicional estilo do Word da Microsoft.

Isso é bem limitante para projetos com outras necessidades, como criar páginas de vendas, por exemplo. E é aí que entra o Gutenberg, um meio mais flexível para conciliar o melhor dos dois cenários.

Sua função é expandir as possibilidades que o editor de conteúdo padrão do WordPress pode ter nativamente. E por isso ele é 100% modularizado, tanto na parte de conteúdo (que é por blocos) quanto de uso (que é por abas e menus).

Dessa forma, o novo editor consegue entregar um ambiente muito mais livre e criativo para o conteúdo. E, por outro lado, consegue abrir possibilidades de integrações melhores. Além de atualizações internas mais fáceis e rápidas.

Em resumo, o Gutenberg é um pequeno passo para algo bem maior no futuro, levando o WordPress para um nível totalmente novo em termos de gestão de conteúdo.

Como usar o editor Gutenberg do WordPress

 

Novo editor do wordpress

 

Para aqueles usuários mais velhos ou que estão migrando de outra plataforma de blogs, o Gutenberg pode ser um grande choque. Já que é um editor bem diferente no estilo e modo de uso.

Talvez para quem já tenha trabalhado com ferramentas ou plugins de construção de páginas o mesmo se pareça mais familiar. No entanto, ele tem algumas peculiaridades que valem a pena ser mostradas.

Então, se você quiser aprender como usar o Gutenberg e aproveitar o novo editor do WordPress da melhor maneira possível, acompanhe nosso guia:

Conhecendo os menus da ferramenta

O novo editor está com um visual muito mais limpo e focado. O que fez a distribuição de elementos ser divida entre 3 menus principais:

Menu Do Topo: Aqui você encontra (por padrão) as funções básicas do editor, como adicionar um bloco; desfazer e refazer; estrutura do conteúdo; navegação nos blocos; opções de salvar rascunho, visualizar e publicar/agendar; botão que abre/fecha o Menu Lateral; além do botão de outras opções.

Menu Lateral: Este menu retrátil esta divido em 2 abas, Documento e Bloco. A primeira exibe opções relacionadas ao post ou página, como URL e categoria, por exemplo. Já a segunda exibe opções do bloco que você está editando, como tamanho da fonte no parágrafo ou link da imagem, por exemplo.

Menu Interno: Nele você tem as opções principais de edição do bloco, como alinhamento da imagem e formatação do texto, por exemplo. Há também um atalho rápido para trocar o tipo do bloco, além de outras opções avançadas.

Conhecendo os blocos do editor

É através dos blocos que você agora cria seus posts ou páginas, onde cada bloco corresponde a um elemento, que você pode editar individualmente e movê-lo para onde desejar.

Os blocos estão separados por categorias, e o mais usados ficam posicionados no topo, além de haver um campo de busca para localizar mais rapidamente o bloco que deseja adicionar.

Dentre as opções de blocos disponíveis temos basicamente tudo o que era possível adicionar no editor clássico do WordPress, como parágrafos; títulos; imagens; citações; listas e embeds. Mas há também novidades, como o botão e alguns widgets.

Outra característica bacana dos blocos é poder marcá-los como reutilizável, ou seja, seu conteúdo é salvo e você adicioná-lo novamente no mesmo ou em outro post/página com muita facilidade. Além disso, ao atualizar este bloco, os demais também sofrem a alteração. Isso é interessante para conteúdos repetitivos, como mensagens de rodapé do autor.

Entendendo a movimentação dos widgets

O Gutenberg é um editor 100% flexível. Ou seja, cada bloco pode ser trocado de posição muito facilmente e de forma totalmente independente.

Ao passar o mouse pela borda lateral esquerda do bloco, fica visível as opções de movimentação. As setas de mover para cima ou para baixo, que te limitam posições verticais. E o espaço para você segurar e arrastar o bloco, que também serve para posições horizontais.

Ambos meios de movimentação são muito fáceis de se usar, e permitem alocar os blocos de maneira rápida e intuitiva dentro dos posts ou páginas.

E você, o que achou do novo editor de conteúdo do WordPress, o Gutenberg? Gostou da novidade ou prefere a volta do editor clássico? E o nosso artigo, te ajudou a entender melhor e pegar o uso do Gutenberg? Comente abaixo para a gente saber!

E se gostou do conteúdo, também colabore compartilhando na internet, seja postando nas suas redes sociais ou enviando para aquele seu amigo(a) que tá com dificuldades com a ferramenta do WordPress.

Por Francisco Nunes

Olá, sou o Francisco. Adoro trabalhar com sites, sou redator, e criador de conteúdo. Além disso, também estudo sobre assuntos como programação e assuntos relacionados a tecnologia. Simplesmente adoro tecnologia. E quero compartilhar com vocês o melhor conteúdo, para que assim possa ser útil na vida de cada um.